Universal Pulse

Andre Costantini, Bel Borba e Burt Sun
11/07/2013 a 17/08/2013

Release
Foi em 2009, quando o Urban Art Institute of the Massachusetts Institute of Art (Massart) comissionou o cineasta, curador e fotógrafo Burt Sun a criar um novo livro sobre arte urbana em Salvador, que o seu caminho se cruzou com o do multifacetado artista Bel Borba. De lá para cá o livro se transformou no documentário de longa metragem "Bel Borba, aqui", co-dirigido pelo parceiro de muitos anos Andre Costantini, e Sun se tornou uma espécie de curador honorário das exposições de Borba.

No ano passado, os dois embarcaram para Nova York para apresentar o documentário no festival de cinema Film Forum e levaram consigo um novo projeto. "DIÁRIO (através de um OLHO BAIANO)" incluído no festival Crossing the Line organizado pelo FIAF (French Institute Alliance Française), propunha uma série de intervenções artísticas, realizadas nos cinco bairros de NYC. A experiência de um mês, realizada em outubro, culminou com uma exposição grandiosa, com peças produzidas exclusivamente material de descarte, em plena Times Square, no coração de Manhattan, e rendeu comentários e reportagens inclusive no New York Times.

Dentre as obras produzidas na ocasião está o curta-metragem de animação Universal Pulse (LINK ) que combina os talentos cinematográficos de Andre Costantini e Burt Sun com as intervenções gráficas de Bel Borba, e que foi exibido durante todo o mês, como parte do Midnight Moment, ou momento da meia-noite, organizado pelo Times Square Alliance Public Art Program e pela TSAC (Times Square Advertising Coalition) - o maior esforço coordenado dos operadores de letreiros de publicidade em Times Square para exibir conteúdo artístico criativo, de forma sincronizada, no mesmo dia e na mesma hora. A obra é a primeira na história do programa a ser criada especificamente para os telões JUMBOTRON de Times Square e foi apresentada em 25 deles na contagem regressiva dos três minutos mágicos antes da meia-noite.

De volta ao Brasil, Burt Sun e Bel Borba se prepararam para apresentar uma nova mostra. Fruto da animação Universal Pulse, a exposição homônima, reúniu, frame a frame, a paisagem nova- iorquina e a arte urbana de traço baiano, revelando em preto e branco fotografias únicas da Big Apple. O projeto deve ganhar o mundo, depois do debut em Salvador, com passagem confirmada por São Paulo, Suíça e EUA.

Na exposição soteropolitana, realizada na RV Cultura e Arte foi exibido ainda, além do curta-metragem, o protótipo de um novo livro, um diário de bordo das intervenções, obras, filmes e performances realizadas a partir da colaboração criativa de Bel Borba, Burt Sun e Andre Costantini desde 2009.

Sobre os artistas
O artista visual brasileiro Bel Borba cobriu Salvador, sua cidade natal, de mais de 500 anos de história, com gloriosos trabalhos ao ar livre, desde pequenos mosaicos até instalações enormes compostas por coloridos pedaços de azulejos, metal, madeira, materiais reciclados e areia. Sua eclética arte canaliza as experiências com as comunidades locais onde trabalha, oferecendo uma janela para a riqueza e complexidade da história e cultura de Salvador. Conhecido como “Picasso do povo” o multifacetado artista representa um lado poucas vezes visto do Brasil.
Enquanto os cineastas Burt Sun e Andre Costantini documentavam o processo criativo e as criações de Bel nos últimos três anos, os três artistas desenvolveram o relacionamento de observador-tema (tradicional ponto de vista em documentários), transformando-se em uma criativa equipe de colaboradores, com uma energia incrível, que pode ser vista através dos novos projetos em parceria, a exemplo da mostra Universal Pulse.

Burt Sun começou sua carreira no teatro, como designer, trabalhando com grandes nomes americanos como Robert Woodruff, Anne Bogart e Philip Glass, e depois seguiu para áreas como publicidade, produção de projetos para televisão, além da fotografia. Em 2003, seu projeto multimídia Helen DeTroit foi selecionado pelo Smithsonian Museum e apresentado em uma mostra intitulada Skin. Sun esteve envolvido na restauração e inauguração do The Modern Theatre na universidade de Suffolk, em Boston, criando seu novo logo e campanha publicitária. Já suas fotografias ganharam espaço em exposições nos Estados Unidos, América Central e no Brasil.
Em 2009, o Urban Art Institute of Massart contratou Burt Sun para criar um novo livro sobre arte urbana no Brasil. Ele viajou até Salvador, na Bahia, e lá conheceu o artista local Bel Borba, transformando o projeto do livro em um documentário de longa-metragem intitula “Bel Borba, Aqui”, produzido e co-dirigido pelo fotógrafo e colaborador de longa data Andre Costantini. Em 2011 Sun esteve ao lado de Bel Borba em sua exposição em Nova York e foi curador da mostra individual de Borba: “Aqui, em 7 elementos”, realizada no Museu Rodin Bahia, aberta em 2012.

Andre Costantini tem BFA em fotografia e pintura pela Mason Gross School of the Arts, mas pode também ser considerado um artista multimídia, realizando trabalhos nas áreas de artes visuais, música, literatura, performance, fotografia e cinema. Em 1996, Costantini foi um dos fundadores da Goldleaf and Big Daddy, uma performance em dupla onde escreveu, cantou e tocou acordeon. Com um gosto pelo bizarro, livres associações, música pop e referências dos anos 80, a performance foi vista regularmente por bares e teatros novairoquinos. Já em 1998 Andre Costantini fotografou a restauração da Última Ceia de Da Vinci com Edie Adams, e foi convidado para se juntar ao Eddie Adam’s Workshop como membro da equipe e professor, onde trabalha até hoje. Seu trabalho recente, Journalists in War, documenta de forma crítica a verdade e o sofrimento dos profissionais que presenciam capítulos recentes da história como a guerra do Vietnã ou os conflitos recentes no Oriente Médio.



︎  ︎  ︎

política de privacidade